Dicas para você

Como contratar hospedagem e domínio para blogs e sites

Quando você sente a necessidade de criar um site ou um blog para você, é necessário ter a noção de que para uma página poder ser acessada na web, ela precisa estar hospedada em algum lugar. Assim como o HD ou SSD do seu computador para armazenar os seus arquivos, programas e tudo mais de sua máquina, assim também acontece com um site. E, assim como um endereço e caminhos de sua pasta no computador, um site precisa de um endereço para ser acessado na web, e isso é feito através do registro de domínio (seja ele .com, .org, .net, .blog, .tv etc). Como contratar ambos os serviços e como saber qual hospedagem é a certa?

1) O que é uma hospedagem?

Uma hospedagem é nada mais, nada menos do que o local que possibilita uma pessoa ou empresa guardar informações, imagens, vídeo e ter a possibilidade de publica-los aos internautas. Quem fornece este tipo de serviço são os provedores, dos quais cobram um determinado valor para cada tipo de hospedagem. Eles cedem um espacinho do servidor deles para você colocar o seu site/blog e tudo o que é necessário para ele ficar no ar.

Eu realmente preciso de uma hospedagem?

Eis a questão. Muita gente acredita que é necessário contratar um serviço de hospedagem sem saber se irá precisar dela (ou até mesmo nem sabe da existência de hospedagem). Digo isso pois já vi caso de uma pessoa contratar uma hospedagem acreditando que seria domínio ou até mesmo para tentar usar no Blogger achando que precisaria fazer como no WordPress. É estranho? É, mas é normal pois não são todos que tem acesso à informação correta sobre hospedagem x domínio x plataformas de blogs que já vêm com hospedagem pronta. A ansiedade de criar um blog é tanta que acaba atropelando algumas coisas sem pesquisar. Vamos às perguntas básicas:

  1. Quero ter um blog. Preciso de hospedagem? Não exatamente. Se você tiver um blog no Blogger, no WordPress.com ou Tumblr (e dentre outras plataformas) você não precisa pois estes serviços já vêm com hospedagem embutida na conta. Mas se você quer ter um blog utilizando o WordPress.org você precisará contratar, sim! Mas, para isso, saiba da diferença entre WP.com e WP.org para evitar confusão.
  2. Quero um blog no WordPress.org. Preciso de domínio? 99% dos casos precisa, sim. Entretanto, há empresas que fornecem subdomínios para caso o cliente queira apenas a hospedagem. Mas é legal que tenha um domínio e, de preferência (não é obrigação, ok?, é mais por comodidade mesmo), na mesma empresa para a gestão ficar mais fácil.
  3. Qual a diferença entre domínio e hospedagem? Como eu disse, hospedagem é o local de armazenamento das páginas da web. Domínio é a URL que te identifica na internet com o objetivo de facilitar o acesso. Você pode ter um registro com extensão .com, .com.br, .me, .tv, .org e mais um monte de infinidade de nomes, caso contrário você usa um domínio com nome de uma empresa, como seunome.blogspot.com.br, meublog.wordpress.com ou meusite.wix.com.br etc.
  4. Tenho um blogger. Posso ter um domínio e hospedagem? Você pode ter um domínio para retirar o blogspot.com.br da sua url e ter um endereço próprio. Entretanto, hospedagem não é necessária pois o Blogger já possui esse serviço — a não ser que queira migrar para o wordpress.
  5. Tenho um blog em wordpress mas nunca contratei uma hospedagem. Fiz algo de errado? Não, isso significa que você utiliza a plataforma do wordpress.com (já tem hospedagem embutida), que é diferente do wordpress.org, que neste é necessário fazer o download para instalar e utilizar.

Qual é o preço em média?

Isso vai depender do que cada hospedagem irá fornecer. Por isso, é necessário pesquisar bastante. Os planos mais simples, comumente utilizados para blogs iniciantes ou com menos de 2mil visitas diárias, giram em torno de R$10 a R$20 por mês. Veja abaixo as coisas que você deve se atentar e analise qual é a melhor hospedagem custo-benefício para você. Lembrando que o barato às vezes sai caro, então tudo é questão de pesquisa e o que melhor atende as suas necessidades neste momento.

2) O que devo me atentar em um serviço de hospedagem?

Você decidiu que realmente precisa de uma hospedagem. Agora começa sua procura por uma. Existem vários tipo de hospedagem para diversos tipos de sites, dos mais pequenos e com poucas visitas aos mais famosos e visitados. Por isso, o ideal é começar aos poucos, mas ter muito cuidado e se ligar nos seguintes itens e dou algumas dicas de como se atentar.

  1. Pré-requisitos: Alguns sites exigem que você tenha um registro de domínio, enquanto outros oferecem o serviço de subdomínio gratuitamente. Há serviços também que oferecem domínio grátis para quem contrata determinado tipo de hospedagem.
  2. Linguagem de programação: As principais linguagens de programação para web, além do PHP, é o ASP, JSP, Perl, Python, Ruby/Ruby on Rails. Essa questão de linguagem suportada do servidor dependerá muito de como o seu site será programado. Os site e blogs em WordPress são de linguagem de programação PHP, e praticamente quase todos os serviços de hospedagem oferecem suporte à esta linguagem por ser a mais popular de todas.
  3. Limites: É o detalhe que mais precisa ficar atento. Os limites são definidos em 4 itens:
    • Transferência mensal: Toda vez que uma página é atualizada por um usuário ou quando alguém faz atualização de algum arquivo do servidor, isso requer atualização de dados para mostrar ao usuário o que há de novo. Isso chama-se transferência de dados, e a maioria dos provedores contam isso de forma mensal e possuem um limite X de GB que podem ser usados. Dê preferência a hospedagens que possuam transferência ilimitada (para blogs com muitas visitas) ou, pelo menos, acima de 3GB de transferência mensal (para blogs com poucas visitas).
    • Armazenamento em disco: É o espaço no HD/SSD do servidor que seu blog irá ocupar. Analise com cuidado o espaço e veja se isso está de acordo com o seu blog e o que você pretende postar nele. Um blog de fotografia, por exemplo, precisa de muito espaço (de início, no mínimo de 10GB e com o tempo ir subindo) porque imagens custam espaço, e espaço custa dinheiro. Agora, um blog com poucas imagens por post, 3G é mais do que suficiente para começar. E sempre se atente se o provedor fornece conta de FTP (saiba o que é isso), que é uma forma rápida e fácil de compartilhamento de arquivos entre nossa computador e nosso blog.
    • Quantidade de domínios: Uma hospedagem pode (ou não) ter vários domínios cadastrados no mesmo espaço (e cada espaço para um domínio é separados por pastinha, assim não compromete outros arquivos). É uma boa ter um serviço de hospedagem que dê a possibilidade de ter outros domínios porque nunca sabemos quando precisaremos de mais um, né? Eu, por exemplo, tenho 3 domínios e 2 uso na minha hospedagem: o meu blog e o este portfólio, onde guardo vários projetos e arquivos de meus clientes.
    • Exibições diárias: Algumas redes de hospedagem oferecem planos baseados nos acessos (pageviews) de cada conta. Para um blog pequeno, 2mil acessos diários é mais do que suficiente, enquanto um blog grande (ou com vários domínios vinculados na mesma conta), precisa dar preferência para acima de 10mil acessos diários ou, se possível, ilimitados.
  4. Gerenciamento da área de hospedagem: É um local do qual você acessa por um endereço (fornecido pela hospedagem) onde é capaz de ver todos os dados da sua conta, bem como o que é utilizado, o que não é, acesso direto aos arquivos etc. Os painéis mais comuns são cPanel, o Plesk e o HELM, mas tem provedores que possuem seus próprios painéis. Eu, particularmente, prefiro o cPanel pela praticidade e facilidade de instalação de vários itens (inclusive o wordpress).
  5. Bancos de dados: É o local de armazenamento do que é postado em seu site/blog em sua forma textual. Ao contrário da lógica, nada do que postamos ficam dentro de pastas em nosso servidor, mas sim num banco de dados. Tudo o que você publica, comentários, páginas etc., são armazenados em tabelas — o que ajuda muito no backup, pois é muito fácil de restaurar um site inteiro em poucos minutos. O tipo de armazenamento mais comum é o MySQL, gerenciado pelo programinha phpMyAdmin (que já vem instalado no servidor), e nele conseguimos gerenciar o banco de dados e inclusive também criar usuários e tabelas para instalar o wordpress.
  6. Sistema operacional: Você também pode se atentar a isto. Querendo ou não, servidores são máquinas como nossos PCs, porém, mais potentes. Existem servidores com Windows, bem como Linux e cada possui melhores desempenhos para linguagens de programação específicas. Por exemplo, server Windows é ideal para quem possui um site programado em C++, enquanto Linux é mais barata e é menos complicada de rodar PHP do WordPress. É o sistema mais comum dos provedores de hospedagem para sites e blogs nessa linguagem.
  7. Serviço de e-mail: Não adianta nada você ter uma hospedagem maravilhosa sem ter um serviço de recebimento e disparo e-mail, além de precisar possuir protocolo SMTP e um protocolo de download de e-mails para os usuários, como POP3 e IMAP, para caso você queira utilizar seus e-mails em outro gerenciador (como o gmail, por exemplo) para ficar mais fácil. Um serviço de e-mail é muito importante pois, além de você construir e-mail para você utilizar para contato profissional de seu blog, muitos plugins de formulário de contato e reply de comentários fazem uso deste serviço de e-mail da hospedagem para funcionarem corretamente. Portanto, atente-se!

O que é recomendado?

Quando você finalmente acha uma empresa de serviços de hospedagem perfeita de acordo com os itens acima, o que deve ser feito logo em seguida é conversar com quem a utiliza para saber se vale a pena e o que ela pode ter sofrido com a empresa e, caso sim, se foi atendida rapidamente e resolvido o caso. Todos nós sabemos que não existe nada perfeito neste mundo, mas o que irá diferenciar se vale a pena ou não é o atendimento ao cliente.

Quando o suporte da empresa se preocupa com o cliente e o ajuda a resolver qualquer tipo de situação que possa ocorrer (porque sabemos que imprevistos acontecem), é a melhor coisa que se tem. Pergunte nos grupos de blogueiros, facebook e na internet à fora sobre empresas de hospedagem, converse com o chat da empresa e com funcionários. É melhor pecar por informação demais do que por falta delas, principalmente no momento em que você for fazer o passo-a-passo da contratação.